Mesmo a melhor qualificação do mundo não o ajudará, enquanto você não tiver um currículo decente e/ou não souber enviá-lo

Tempo de leitura: 7 minutos

Desculpe-me pelo título deste post, não quis ser agressivo com ele. O que quero é ser sincero. Preciso lhe contar que você pode ser a pessoa mais capacitada do mundo, contudo, se não tiver um bom currículo – no sentido de bem escrito e estruturado – ou no mínimo apresentável, possivelmente todo o preparo não te ajudará em absolutamente NADA na tão dura busca por um emprego.

Resolvi escrever este post após uma grande frustração que me ocorreu nestas últimas semanas. Peço, inclusive, um pouco de paciência, porque diferentemente de como estou acostumado escrever aqui, hoje vou contar um causo. Aquele que me levou à reflexão que dá nome ao título e que pode ser muito útil pra você, ou pelo menos, pra te ajudar a abrir os olhos, caso se enquadre no perfil da maioria dos profissionais sobre os quais falarei.

O CAUSO

Sou natural de Pernambuco, mas estou passando uma temporada em São Paulo, e acontece que nestes últimos dias, precisei de uma pessoa para prestar serviços pontuais como “despachante”, lá em Recife. Em um dos inúmeros grupos de vagas no Facebook, divulguei esta minha demanda, elencando quais seriam as atividades que a pessoa iria realizar. Solicitei, então, apenas o seguinte: “por favor, enviar e-mail para o e-mail “X”, caso tenha interesse”. Não pedi pra enviar currículo, nem nada. Só disse isso, esperando ver quem teria o cuidado em mesmo, sem ser solicitado, enviar informações mais completas.

No mesmo dia, recebi uma enxurrada de e-mails de profissionais colocando-se à disposição para o preenchimento desta “vaga”. Foram muitos. Algo em torno de 90-100.  Embora considere uma quantidade expressiva, não me assuntei com os envios, e sim a quantidade de e-mails totalmente desprovidos de qualquer tipo de “profissionalismo”, sem nenhum zelo. Eram e-mails vazios, sem anexo, sem texto, CVs poluídos, textos genéricos nos CVs… entre algumas outras coisas que realmente deixam você sem vontade de continuar vendo aquele arquivo.

Tudo bem que eu não estava procurando ou contratando um diretor para ser responsável pelas operações de uma multinacional na América Latina, mas eu, como tomador de serviços, precisava mais que um “eu estou disponível” no corpo do e-mail, para poder confiar àquela pessoa, alguns documentos muito importantes e com dados sigilosos. Precisava ao menos enxergar resquícios de zelo, seja na formatação do Currículo, ou ao menos na preocupação em redigir um e-mail com algumas linhas contando um pouco sobre quem era ou o que fazia.

COMO ELABORAR UM BOM CURRÍCULO

Após esta experiência, percebi que seria interessante contribuir de uma forma mais ativa e não somente reclamar da situação. Por isso, resumi em 6 pontos alguns dos conselhos mais importantes que li em sites especializados neste tema. Então, vamos lá:

  1. Não exceda na quantidade de seus dados pessoais. Também, não coloque informações de menos no CV. Seja dosado. É importante que dados como endereços, idade, meios para contato nunca deixem de ser postos no CV. Agora, números de documentos como RG e CPF, já não pegam tão bem. É bom evitar, a menos que na descrição da vaga, peça.
  2. Não deixe de ler e reler seu currículo após terminá-lo. Erros de português são normais, afinal somos humanos. Eu, inclusive, devo ter derrapado no português algumas vezes enquanto escrevia este post. Mas lembre-se: você pode estar enviando o seu CV para concorrer à Oportunidade da sua vida. Ele deve estar impecável! Uma dica boa, e pedir para algum dos seus amigos dar uma lida, antes de começar a divulgá-lo.
  3. Não esqueça de fazer um resumo das suas qualificações. É muito ruim pegar um CV para ler, e não ter um resumo. Principalmente se o currículo tem 30 mil páginas. A revista Exame disponibilizou uma matéria, noutro dia, sobre como melhorar o perfil no LinkedIn, e aqui vou deixar a mesma dica que eles deram: “Invista em um bom resumo. Para criá-lo, imagine que um recrutador pediu o seguinte: conte-me quem é você. Simples assim.”. O resumo pode fazer com o que o recrutador fique curioso em ler todo o seu currículo, como também, pode provocar o contrário.
  4. Evite o desleixo, mas não deixe que seu currículo vire a personificação do caos com tanta “formatação criativa”. Nem um, nem o outro. Seja sóbrio, claro, direto. Às vezes, o recrutador não está com tempo e nem com saco pra ver muito “fru-fru”. Ele precisa, apenas, encontrar alguém que tenha as qualificações que ele está buscando para preencher uma determinada vaga. Dificultar a vida dele, é dificultar a sua. Claro, para algumas profissões, a criatividade pode fazer muito bem, mas, pare um pouco, e reflita se este é o seu caso.
  5. Não minta. Coloque no currículo suas reais competências. Nada de incrementar demais, criar coisas, funções, projetos… lembre-se que mesmo que passe na vaga, se você tiver informado alguma inverdade, logo seu novo chefe vai descobri e você será convidado a se retirar. A empresa tem 3 meses, para julgar sua competência. E sair com fama de “mentiroso” ou “gogó”, não pega bem.
  6. Faça uma carta de apresentação, ou um “bilhete”, se não tiver com paciência para escrever. Mas faça! Além de ajudar o recrutador a ter uma primeira impressão sua, antes de abrir o CV, mandar uma carta de apresentação pode ser sinal de educação, interesse e cuidado. Características muito observadas pelos profissionais de recrutamento. Particularmente, acho deselegante, enviar apenas o arquivo como anexo no e-mail, com um “segue para apreciação”.

PORTANTO…

Realmente, espero ter ajudado com estas poucas dicas. E lembre-se que independentemente do “tamanho” da empresa, da representatividade daquela vaga, do status daquele cargo, mostrar-se um bom profissional através do currículo, sempre faz bem. Pode ser que aos olhos de quem recruta, você tenha “mais valor” do que, o que se dá. Relações comerciais e/ou laborais, tem início muito mais pela forma como você se porta do que pelo que você oferece.

Queria somente deixar claro que em momento algum quis, ao expor o episódio relatado nos primeiros parágrafos, criticar de forma pejorativa os profissionais que me enviaram seus currículos para aquela demanda em Recife, mas alertar àqueles que realmente querem ter maior destaque ou maiores chances em concorrer às oportunidades que surgem, sobre a importância de tomar cuidado com sua apresentação.

Vou deixar aqui abaixo, o link de algumas matérias interessantes que podem ajudar a você, leitor, na elaboração do seu CV:


Quero aproveitar a oportunidade para agradecer por ter lido este post e pedir que caso tenha encontrado algum erro ou queira nos comunicar uma informação, envie uma mensagem para contato@dpemfoco.com.br. Deixe, também, sua opinião nos comentários e siga-nos nas redes sociais:  Facebook, LinkedIn e Twitter.

Se você quer receber nossas atualizações por e-mail, clique aqui. Já para baixar o nosso primeiro e-Book gratuito, basta clica em: Curso Básico de Departamento de Pessoal.


Leia também:

  • Elaine Santos

    Interessante, ontem mesmo, estava orientando uma profissional, super qualificada, que tinha um baita de um conhecimento, porém, seu curriculum estava com excesso de informações e ao mesmo tempo, os pontos principais, não foram mencionados. Justamente, o que está sendo tratado em seu post.

    • Realmente, é uma realidade de muita gente. Existem ótimos profissionais que por não ter um bom currículo, deixam de conseguir boas oportunidades. Obrigado pelo comentário, Elaine. Continue acompanhando o blog.